Alertas de voos baratos #boraviajar? Ative as notificações e receba alertas de passagens aéreas baratas. ATIVAR

Fim da taxa adicional de embarque internacional

Gabrielle Barbosa
Postado em Lunes 11, Noviembre 2019 em Noticias

Fim da taxa adicional de embarque internacional - O Governo Federal já havia mencionado a possibilidade de retirar a cobrança da taxa adicional de embarque para voos internacionais. Visando incentivar o setor de aviação civil e o ingresso de novas companhias aéreas no mercado brasileiro, o Governo Federal anunciou oficialmente o corte da taxa adicional de embarque. 

A taxa até então era aplicada no valor de 18 dólares para voos internacionais e apesar do anúncio, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, contou para o portal de notícias G1 que o fim da taxa ainda não tem data definida, mas será feito em breve e que, para que isso ocorra, será realizado por meio de medida provisória. 

Pensando em viajar? Encontre passagens aéreas e hotéis no Turismocity 

Fim da taxa adicional de embarque internacional


Como o fim da taxa adicional de embarque internacional afeta o viajante?

Ela representa uma redução no valor gasto com a tarifa da passagem aérea. Como a taxa é destina à União, ou seja, ao país e não à companhia aérea, ela tem um valor fixo aplicado a todo voo internacional. 

O que acontece é que, além da taxa de embarque, as companhias cobravam a taxa adicional, essa destinada ao Fundo Nacional de Aviação Civil. Em 2019 a ANAC, Agência Nacional de Aviação Civil, definiu que o valor aplicado para a taxa adicional seria de R$ 65,80 por passageiro. 

No Brasil, as taxas totais de embarque variam de R$ 106,76 a R$ 122,20 dependendo da companhia aérea e do aeroporto. A taxa adicional de pouco mais de 65 reais é destinada à União e o restante é destinado à empresa aérea para cobrir gastos administrativos e de funcionários. 
 

O que é a tarifa adicional de embarque internacional?

Essa taxa adicional cobrada para voos internacional foi instituída em 1999 para reduzir a dívida pública e atualmente é destinada ao abastecimento do Fundo Nacional de Aviação Civil, FNAC, que tem como objetivo realizar melhorias na infraestrutura dos aeroportos brasileiros. 

Para que o Fundo Nacional de Aviação não sofra com o fim da taxa adicional, o Governo Federal estuda uma maneira de fazer a compensação do valor que deixaria de ser destinado à FNAC. Uma das maneiras encontradas é começar retirando essa taxa dos voos que tem como destino a América do Sul inicialmente. O restante do mundo teria a taxa retirada até o final de 2021. 

Dessa maneira, o Governo Federal teria que compensar à FNAC 250 milhões de reais em um primeiro momento. O valor total da taxa cobrada anualmente é R$ 704 milhões por ano. Essa compensação é necessária por conta da exigência da Lei de Responsabilidade Fiscal, uma lei complementar que visa impor o controle dos gastos públicos. 

O Secretário Nacional de Aviação Civil, Ronei Glanzmann, destacou ainda ao G1 que retirar a taxa adicional inicialmente só da América do Sul, além de facilitar na compensação do valor que deverá ser destinado à FNAC também é bom para o viajante, já que a taxa de US$ 18 pesa mais em passagens aéreas mais baratas, como é o caso da América Latina comparada a outros lugares do mundo. 

Fonte: G1 




Aéreos

Origem - Coloque sua cidade, país ou região
Destino - Coloque sua cidade, país ou região
Ainda não defini as datas
1 Passageiro, econômica